Base de dados : ULAPSI
Pesquisa : LIVRO ELETRONICO [Suporte Eletrônico]
Referências encontradas : 152 [refinar]
Mostrando: 1 .. 50   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 152 ULAPSI  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 991
Autor: Nogueira, Fernanda (org).
Título: Entre o singular e o coletivo: acolhimento de bebês em abrigos.
Fonte: São Paulo; Instituto Fazendo História; ; 2011. 132 p.
Resumo(s): O acolhimento é uma das medidas de proteção previstas no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) e se aplica a qualquer bebê, criança ou adolescente ameaçado ou violado em seus direitos básicos. Caracterizado como uma medida excepcional e provisória, o acolhimento só deve ocorrer quando esgotadas todas as alternativas de permanência na família. Nesse caso, deve representar uma alternativa de moradia digna, com clima residencial, atendimento personalizado e preservação dos vínculos familiares sempre que possível, até que o bebê, a criança ou o adolescente possa retornar à sua família de origem ou ser encaminhado a uma família substituta. É fundamental que as famílias, as crianças e os profissionais partilhem da ideia de que quando a família não pode exercer sua função é dever do Estado fazê-lo. No caminho da profissionalização do abrigo, através do qual se procura fortalecer o desenvolvimento de sujeitos autônomos, esta publicação pretende oferecer recursos para os cuidados diretos com o bebê e para a reflexão sobre o acolhimento de bebês “separados” e, com isso, contribuir para o acolhimento institucional que é oferecido à primeira infância. Nosso desejo, com esta publicação, é o de que o conhecimento das implicações da separação e da passagem tão precoce por um acolhimento institucional tenha efeitos nas ações, propostas e intervenções realizadas pelos diferentes atores responsáveis pelos bebês, crianças e adolescentes que vivem em abrigos
Descritor Psi Português: CRIANÇAS ABRIGADAS
BEBÊS
CRIANÇA INSTITUCIONALIZADA
COMPORTAMENTO DE CUIDADO DA CRIANÇA
Descritor Psi Espanhol: NIÑOS ABRIGADOS
BEBÉS
NIÑO INSTITUCIONALIZADO
CONDUCTA DE CUIDADO DEL NIÑO
Descritor Psi Inglês: SHELTERED CHILDREN
INFANTS
CHILD INSTITUTIONALIZED
CHILD CARE
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.fazendohistoria.org.br/downloads/entre_o_singular_e_o_coletivo.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  2 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 990
Autor: Coutinho, Maria Chalfin (org); Furtado, Odair (org); Raitz, Tânia Regina (org).
Título: Psicologia social e trabalho: perspectivas críticas.-v.1
Fonte: Florianópolis; ABRAPSO Editora : Edições do Bosque UFSC / CFH / NUPPE; ; 2015. 292 p.
Resumo(s): Textos de psicologia social relacionados à temática trabalho, em perspectivas críticas
Descritor Psi Português: PSICOLOGIA SOCIAL
PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
RECURSOS HUMANOS
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGÍA SOCIAL
PSICOLOGÍA DE LAS ORGANIZACIONES
PERSONAL
Descritor Psi Inglês: SOCIAL PSYCHOLOGY
ORGANIZATIONAL PSYCHOLOGY
PERSONNEL
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/129787/Book%20Psicologia%20Social%20e%20Trabalho%20pdfA.pdf?sequence=3&isAllowed=y.
Nota Geral: Coleção Práticas Sociais, políticas públicas e direitos humanos. Brizola, Ana Lídia Campos; Zanella, Andrea Vieira, coord. Livro Eletrônico ou E-book


  3 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 989
Autor: Colacique, Maria Aparecida Mazzante; Oliveira, Maria Tereza de; Souza, Márcia Aparecida Isaco de; Tardivo, Leila Salomão de La Plata Cury; Rosa, José Tolentino.
Título: Fantasias inconscientes na clínica psicanalítica de pacientes com dor crônica.
Fonte: São Paulo; Associação de Psicoterapia Psicanalítica; ; 2013. 131 p.
Resumo(s): Capítulo 1 - Fantasias inconscientes na transferência e contratransferência: holding e manejo em psicoterapia psicanalítica. Capítulo 2 - Fantasias inconscientes na comunicação transferencial de pacientes com dor crônica. Capítulo 3 - Vivências emocionais e evolução clínica de pacientes com dor crônica em psicoterapia psicanalítica. Capítulo 4 - A contratransferência nos grupos de supervisão e o processo de aprendizagem na perspectiva winnicottiana. Capítulo 5 - Reflexões acerca do trabalho psicoeducativo com crianças e Adolescentes com câncer. Capítulo 6 - A comunicação clínica com pacientes de dor crônica na perspectiva de Parthenope Bion, Talamo e Ignacio Matte-Blanco. Capítulo 7 - A capacidade de manter-se vivo, na síndrome de Ulisses, caracterizam as fantasias inconscientes de pacientes com dor crônica
Descritor Psi Português: PSICOTERAPIA PSICANALÍTICA
DOR
Descritor Psi Espanhol: PSICOTERAPIA PSICOANALITICA
DOLOR
Descritor Psi Inglês: PSYCHOANALYTIC PSYCHOTHERAPY
PAIN
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/psicoterapia_dor_cronica_tolentino.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book; Simpósio da Associação de Psicoterapia Psicanalítica


  4 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 988
Autor: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica*.
Título: A educação infantil nos países do MERCOSUL: análise comparativa da legislação.
Fonte: Brasília; MEC/SEB; ; 2013. 121 p.
Resumo(s): A Representação da UNESCO no Brasil e o Ministério da Educação (MEC) apresentam a publicação “Educação infantil nos países do MERCOSUL: análise comparativa da legislação”. A publicação é resultado de uma pesquisa realizada entre 2012 e 2013, com objetivo de analisar – comparativamente – os dispositivos legais que determinam e balizam as políticas públicas de educação infantil no conjunto dos países-membros do MERCOSUL, possibilitando, assim, a criação de mais uma via de acesso à integração regional e de intercâmbio das construções teóricas, dos avanços nas leis, das políticas e das práticas que vêm se efetivando em cada país. A educação infantil, como é conhecida atualmente, é uma construção histórica que vem ganhando diferentes contornos e especificidades ao longo do tempo. Nesse sentido, o desenvolvimento da pesquisa promoveu o diálogo e o intercâmbio de experiências dos representantes dos Ministérios da Educação dos países participantes, bem como a discussão de temas que conduzem ao conhecimento mútuo dos respectivos sistemas de ensino. Com isso, objetiva-se a busca de uma terminologia comum ou mais próxima – respeitadas as especificidades culturais e linguísticas – e a progressiva comparabilidade das estruturas da educação na primeira infância, potencializando- se o enfrentamento dos desafios inerentes à universalização da pré-escola e à atenção dada às crianças de 0 a 5 anos. Para a UNESCO, esta obra é parte de sua missão de colaborar para a cooperação técnica e cultural entre os países e para a difusão de conhecimentos; fortalecer a identificação de tendências e sinalizar caminhos; e, por fim, fornecer subsídios para a elaboração de políticas. Na mesma direção, para o MEC, é uma resposta à demanda de dar prosseguimento ao diálogo, que vem se mostrando profícuo, entre os países do MERCOSUL, sobre os respectivos sistemas de ensino na área da educação infantil... (AU)
Descritor Psi Português: EDUCAÇÃO INFANTIL
PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO
LEIS
POLÍTICAS PÚBLICAS
Descritor Psi Espanhol: CRIANZA DEL NINO
PAÍSES EN DESAROLLO
LEYES
POLITICAS PUBLICAS
Descritor Psi Inglês: EARLY CHILDHOOD EDUCATION
DEVELOPING COUNTRIES
LAWS
PUBLIC POLICIES
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/educacao_infantil.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  5 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 987
Autor: Conselho Federal de Psicologia; *.Conselhos Regionais de Psicologia*.
Título: V Seminário Nacional Psicologia e Políticas Públicas: subjetividade, cidadania e políticas públicas.
Fonte: Brasília; CFP; ; 2011. 192 p.
Resumo(s): Esta publicação registra as palestras realizadas durante o V Seminário Nacional de Psicologia e Políticas Públicas: Subjetividade, Cidadania ePolíticas Públicas, em maio de 2009, na cidade de Belém, Pará, durante o VI Congresso Norte-Nordeste de Psicologia, o Conpsi. O percurso que a Psicologia brasileira vem traçando desde que entendeu a importância de sua participação, como ciência e como profissão, na construção de uma sociedade mais justa, nos deu o caminho das políticas públicas como o lugar no qual é possível garantir o acesso da população aos direitos. Assim, as políticas públicas passaram a ser encaradas como espaços nos quais os psicólogos podem participar da construção de um país melhor, consolidando alianças com outras profissões comprometidas com esse mesmo desafios. Foi com essa perspectiva que, neste V Seminário, a Psicologia foi pensada em sua relação com as políticas públicas e com o Estado em diversas áreas, tais como os direitos humanos, educação, drogas, a ação clínica nos diferentes espaços e, também, no desafio da construção de referências para a atuação dos psicólogos em políticas públicas. O seminário que dá origem a esta publicação é uma contribuição que o Conselho Federal levou ao VI Conpsi. Diferentemente do que fizemos nos anos anteriores, as mesas de discussão desse seminário foram realizadas ao longo do congresso. O CFP agradece aos palestrantes que nos ajudaram a construir esses debates e espera que o registro das conversas contribuam com ofortalecimento desse caminho que vem sendo trilhado por nossa profissão. (AU)
Descritor Psi Português: PSICOLOGIA
POLÍTICAS PÚBLICAS
ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO
DIREITOS HUMANOS
CIDADANIA
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGIA
POLITICAS PUBLICAS
ACTUACION DEL PSICOLOGO
DERECHOS HUMANOS
CIUDADANIA
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGY
PUBLIC POLICIES
PSYCHOLOGIST PERFORMANCE
HUMAN RIGHTS
CITIZENSHIP
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/seminario_nacional_psicol_politicas_publicas.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  6 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 986
Autor: Conselho Federal de Psicologia; *.Conselhos Regionais de Psicologia*.
Título: Psicologia: uma profissão de muitas e diferentes mulheres.
Fonte: Brasília; CFP; ; 2013. 270 p.
Resumo(s): Reconhecer que a Psicologia brasileira é composta por uma maioria de mulheres (89%) passa também por reconhecer a sua diversidade. Esta foi uma das pautas prioritárias do CFP na gestão 2011-2013. Nessa perspectiva, a investigação de como o feminino pode influenciar no exercício profissional nos leva à necessidade da compreensão de como as psicólogas vivem, o que pensam e como atuam. A pesquisa “Efeitos do feminino no exercício da Psicologia no Brasil” realizou-se em duas etapas, uma de viés mais quantitativo, lançada em maio de 2013 na publicação “Quem é a psicóloga brasileira?”; e agora apresentamos a outra, de abordagem qualitativa: “Psicologia: uma profissão de muitas e diferentes mulheres”. Vale lembrar que o CFP desde 1988 investiga o perfil da categoria, e teve como marco inicial a pesquisa que originou a publicação “Quem é o Psicólogo brasileiro?”, com sua terceira edição publicada em 2001, além de outras pesquisas quantitativas sobre o perfil dos profissionais de Psicologia que originaram relatórios publicados em 2001 e 2004. Na presente publicação, apresentamos uma produção que se propõe a dar conta de uma dimensão subjetiva da profissãoperpassando as questões sobre o feminino dentro da categoria. Ela possibilita um avanço nas práticas profissionais a partir da reflexão sobre as questões de gênero, além da oportunidade de produzir debates sobre a Psicologia no Brasil na atualidade. Não há como se voltar para o cuidado de outras (os) sem que haja uma rigorosa contemplação de si, que inclua uma crítica sóciohistórica e uma profunda análise contextual de nossa inserção na sociedade. Podemos libertar e podemos oprimir, na medida em que aquilo que está em questão é a autonomia e o conceito de liberdade que subsidia nossas práticas...(AU)
Descritor Psi Português: PSICÓLOGOS
ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO
TRABALHO FEMININO
MULHERES
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGOS
ACTUACION DEL PSICOLOGO
TRABAJO DE MUJERES
MUJERES
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGISTS
PSYCHOLOGIST PERFORMANCE
WORKING WOMEN
WOMEN
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/psicol_prof_muitas_e_diferentes_mulheres.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  7 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 985
Autor: Conselho Federal de Psicologia; *.Conselhos Regionais de Psicologia*.
Título: A verdade é revolucionária: testemunhos e memórias de psicólogas e psicólogos sobre a ditadura civil-militar brasileira (1964-1985).
Fonte: Brasília; CFP; ; 2013. 700 p.
Resumo(s): Somos os nossos discursos, que produzem verdades e instituem nossos modos de existir. Verdades atravessadas pelas histórias que vão sendo contadas. Histórias que produzem presente. Presente produtor de modos de ser, estar, saber e viver no mundo. Histórias que produzem e transformam, que tornam necessário desviar os olhos dos “objetos naturais” para perceber as práticas, bem-datadas, que produzem as políticas públicas, as políticas de direitos humanos, as políticas de subjetivação. A história é, sobretudo, um trabalho que não é tomado apenas por um método, mas também por uma política do presente que potencializa outras possibilidades de pensar, por considerar a história por meio de suas práticas, de um não esvaziamento de suas forças transformadoras. Que as verdades contadas, aqui, como memórias e testemunhos, sejam potentes para reescrevermos nossa história. De um passado não tão distante e que, por vezes, coloca-se como presente. Somos todos afetados pela ditadura e nossas memórias não podem ser silenciadas. O testemunho traz para o campo do discurso aquilo que é da ordem do inenarrável, em uma ação que transforma sofrimentos individuais em vivências coletivas. Apresentamos, aqui, testemunhos e memórias de psicólogas e psicólogos de todo o país. Testemunhos historicamente marcados por interdições, medos, imobilizações e isolamentos. As Comissões de Direitos Humanos do Sistema Conselhos de Psicologia, neste trabalho, fazem dessas memórias potência de falas, seguranças, mobilizações e vínculos. Que este se junte a outros projetos coletivos para se avaliar e repensar o país. (AU)
Descritor Psi Português: DITADURA
REPRESSÃO POLÍTICA
DIREITOS HUMANOS
HISTÓRIA - BRASIL
Descritor Psi Espanhol: DICTADURA
REPRESION POLITICA
DERECHOS HUMANOS
Descritor Psi Inglês: DICTATORSHIP
POLITICAL REPRESSION
HUMAN RIGHTS
HISTORY - BRAZIL
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/verdade_revolucionaria.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  8 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 981
Autor: Conselho Federal de Psicologia; *.Conselhos Regionais de Psicologia*.
Título: Cartilha avaliação psicológica - 2013.
Fonte: Brasília; CFP; ; 2013. 56 p.
Resumo(s): O Conselho Federal de Psicologia (CFP) oferece aos profissionais do Sistema Conselhos informações de natureza ética, teórica e metodológica sobre a avaliação psicológica, visando aprimorar a qualidade dos serviços psicológicos oferecidos à sociedade brasileira. Essa demanda emergiu a partir dos vários fóruns de discussões promovidos. Destaque especial deve ser dado à definição de critérios mínimos para a validação dos testes psicológicos.Investimentos dessa envergadura mostram-se eficazes, na medida em que oferecem um conjunto de informações norteadoras sobre os limites e as possibilidades dos métodos de avaliação psicológica empregados no Brasil, respaldados pela atual legislação que regulamenta a profissão de psicólogo neste país. Nessa perspectiva, é necessário que o Sistema Conselhos esmere-se em aprimorar sua forma de comunicação com os profissionais e coloque-se como um interlocutor, em relação às práticas instituídas, para sanar as dificuldades sobre a avaliação psicológica que, certamente, requerem estudos que vão além da instrumentalização, ou seja, de aprofundamentos de natureza epistemológica, que extrapolam os limites deste documento, mas não dos profissionais envolvidos. Entendemos que não basta esclarecer a sociedade sobre a importância da avaliação psicológica. Temos de trabalhar para que o seu uso seja mais consequente e venha oferecer visibilidade ao sujeito, de modo que seus direitos sejam garantidos.Nesse sentido, a avaliação será reconhecida como imprescindível seresponder às necessidades daquele que a ela se submete. Diante do exposto, o CFP entende que não pode se limitar a ser um órgão fiscalizador, mas sim, uma instância que promove o diálogo entre as diferentes formas de concepção e contribui para a construção de diretrizes que possam orientar as práticas dos psicólogos. A última década foi marcada por muitos avanços na área de avaliação psicológica... (AU)
Descritor Psi Português: AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA
TESTES PSICOLÓGICOS
Descritor Psi Espanhol: EVALUACION PSICOLÓGICA
TESTS PSICOLÓGICOS
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGICAL ASSESSMENT
PSYCHOLOGICAL TESTING
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/aval_psicol.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  9 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 949
Autor: Conselho Federal de Psicologia*.
Título: Contribuições do Conselho Federal de Psicologia à discussão sobre a formação da(o) psicológa(o).
Fonte: Brasília; CFP; ; 2013. 24 p.
Resumo(s): Este texto reflete dois momentos de um processo realizado pelo GT Formação do CFP – Gestão 2011-2013, a saber: uma revisão bibliográfica e uma oficina que teve caráter dialogal, em que seus componentes puderam livremente expressar parte de suas preocupações acerca da formação do psicólogo à luz da relação com a produção científica e a profissão. Essa relação foi problematizada levando em conta elementos da sociedade brasileira atual e suas injunções nas subjetividades dos indivíduos. O objetivo que fundou esse processo foi o de delinear algumas questões emblemáticas que pudessem servir de orientação ao futuro do processo de formar jovens para o exercício de uma Psicologia comprometida com as questões sociais presentes em nosso cotidiano e que se constituem como um desafio à ciência e à profissão psicológicas. (AU)
Descritor Psi Português: FORMACAO DO PSICOLOGO
Descritor Psi Espanhol: FORMACION DEL PSICOLOGO
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGIST EDUCATION
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/discussao_sobre_a_formacao_do_psicologo.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  10 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 948
Autor: Conselho Federal de Psicologia*.
Título: Referências técnicas para atuação de psicólogas (os) em programas de atenção à mulher em situação de violência.
Fonte: Brasília; CFP; ; 2012. 82 p. ilus, tab, .
Resumo(s): O Conselho Federal de Psicologia (CFP) apresenta à categoria e à sociedade em geral o documento de Referências Técnicas para a Prática de Psicólogas(os) em Programas de atenção à mulher em situação de Violência, produzido a partir da metodologia do Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (Crepop), este documento busca construir referência sólida para a atuação da Psicologia na área. As referências construídas têm como base os princípios éticos e políticos norteadores do trabalho das(os) psicólogas(os), possibilitando a elaboração de parâmetros compartilhados e legitimados pela participação crítica e reflexiva da categoria em programas de atendimento à mulheres. As referências refletem o processo de diálogo que os Conselhos vêm construindo com a categoria, no sentido de se legitimar como instância reguladora do exercício profissional. Por meios cada vez mais democráticos, esse diálogo tem se pautado por uma política de reconhecimento mútuo entre os profissionais e pela construção coletiva de uma plataforma profissional que seja também ética e política, em compromisso com às questões de gênero. Esta publicação marca mais um passo no movimento recente de aproximação da Psicologia com o campo das Políticas Públicas para as mulheres. Aborda cenário delicado e multifacetado de nossa sociedade, no contexto da defesa e dos direitos da mulher e no combate às diversas violências. A opção pela abordagem deste tema reflete o compromisso dos Conselhos Federal e Regionais de Psicologia com a qualificação da atuação das(os) psicólogas(os) em todos os seus espaços de atuação. (AU)
Descritor Psi Português: ATUACAO DO PSICOLOGO
VIOLENCIA CONTRA MULHER
POLITICAS PUBLICAS
Descritor Psi Espanhol: ACTUACION DEL PSICOLOGO
VIOLENCIA CONTRA LA MUJER
POLITICAS PUBLICAS
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGIST PERFORMANCE
VIOLENCE AGAINST WOMEN
PUBLIC POLICIES
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/crepop_mulher_situacao_violencia.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  11 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 947
Autor: Poletto, Michele (org); Souza, Ana Paula Lazaretti (org); Koller, Silvia H. (org).
Título: Direitos humanos, prevenção à violência contra crianças e adolescentes e mediação de conflitos: manual de capacitação para educadores.
Fonte: Porto Alegre; IDEOGRAF; ; 2013. 248 p.
Descritor Psi Português: DIREITOS HUMANOS
CRIANCAS
VIOLENCIA
ADOLESCENTES
Descritor Psi Espanhol: DERECHOS HUMANOS
NINOS
VIOLENCIA
ADOLESCENTE
Descritor Psi Inglês: HUMAN RIGHTS
CHILDREN
VIOLENCE
ADOLESCENTS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/escola_que_protege_direitos_humanos_prevencao_violencia.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  12 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 946
Autor: Andrade, Darlene Silva Vieira; Santos, Helena Miranda dos.
Título: Gênero na psicologia: articulações e discussões.
Fonte: Salvador; Conselho Regional de Psicologia; ; set. 2013. 196 p.
Resumo(s): A defesa dos Direitos Humanos norteia as ações desenvolvidas pelo Sistema Conselhos de Psicologia. Dessa forma, as pautas são as mais diversas, mas sempre relacionadas aos Direitos Humanos e à consolidação das políticas públicas.O Conselho Regional de Psicologia da Bahia elencou, como umas das suas principais discussões, a Psicologia e as Relações de Gênero. Pioneiro no Sistema Conselhos de Psicologia, o Grupo de Trabalho Relações de Gênero e Psicologia tem se destacado na produção de eventos e trabalhos científi cos que desnaturalizam a superioridade masculina. Entendemos que, na nossa cultura, todas as categorias sociais que não sejam o “macho-adulto-branco-heterossexual-cristão” sofrem alguma espécie de discriminação, processo esse decorrente da história da nossa sociedade. Evidenciamos, assim, que a cultura machista da sociedade ocidental é perniciosa para todas as pessoas e coloca a mulher como um ser inferior, subalterno e dependente do homem. As mulheres compõem a esmagadora maioria das(os) profi ssionais de Psicologia, entretanto avançamos pouco no debate teórico, ético e político das relações de gênero e dos impactos na construção das subjetividades individuais e dos processos coletivos. Assim sendo, contribuições feministas encontram-se nesta publicação que nada mais é do que uma coletânea de diversas falas realizadas nos eventos produzidos pela Comissão de Direitos Humanos e pelo Grupo deTrabalho Relações de Gênero e Psicologia. Esta publicação tem o intuito de socializar experiências e reflexões acerca da Psicologia e das Relações de Gênero, o que o Conselho Regional de Psicologia da Bahia percebe como de extrema importância para a categoria assim como para a sociedade(AU)
Descritor Psi Português: GENERO
PSICOLOGIA
Descritor Psi Espanhol: GENERO
PSICOLOGIA
Descritor Psi Inglês: GENDER
PSYCHOLOGY
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/genero_na_psicologia.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  13 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 945
Autor: Lhullier, Louise A. (org).
Título: Quem é a psicóloga brasileira? mulher, psicologia e trabalho.
Fonte: Brasília; Conselho Federal de Psicologia; ; maio 2013. 157 p.
Resumo(s): Afinal, como é a relação entre as psicólogas e a Psicologia? Esse é um tema tão importante que mereceu um livro. Por isso, esta publicação é inteiramente dedicada a elas, como uma forma de reconhecimento na construção da profissão. Para buscar a resposta, o Conselho Federal de Psicologia (CFP), por meio do Instituto ETHOS, desenvolveu uma pesquisa quantitativa sobre o tema, que ouviu 1.331 psicólogas1 de todo Brasil. Um dos principais resultados obtidos, se não o mais destacado, é que, dos 232 mil profissionais em exercício, 88% são mulheres. Devemos estar atentos a essa informação, principalmente porque ela simboliza e destaca o protagonismo feminino de uma nação composta por aproximadamente 97 milhões de mulheres (IBGE/2012), que correspondem a mais da metade da população brasileira. É preciso enxergar a contribuição da Psicologia, uma vez que essa maioria também se reflete na profissão.. Questões assim motivaram o Conselho Federal de Psicologia a realizar a pesquisa Quem é a psicóloga brasileira?. A pesquisa incluiu questões de uma série histórica que investiga, desde 1988, o perfil da categoria. Frutos de um trabalho de levantamento da prática profissional e daqueles que estão no seu exercício, já foram publicadas quatro edições: em 1988, o livro Quem é o Psicólogo brasileiro?; em 2000 e 2001, os relatórios de pesquisa sobre o perfil dos profissionais de Psicologia, e, em 2004, uma pesquisa de opinião realizada pelo Ibope. O presente estudo foi necessário para saber com maior clareza quem faz a Psicologia e, a partir dessa observação, criar a possibilidade de avançar na pesquisa sobre os efeitos dessa presença feminina sobre o exercício da Psicologia no Brasil. Essa perspectiva é um elemento que foi incluído nas pesquisas de opinião e que deve permanecer nas próximas análises, abrindo horizonte para novas dimensões envolvendo gênero, profissão, trabalho e o feminino no século XX(AU)
Descritor Psi Português: PSICOLOGOS
MULHERES
TRABALHO
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGOS
MUJERES
TRABAJO
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGISTS
WOMEN
LABOUR
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/quem_e_a_psicologa_brasileira.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  14 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 944
Autor: Conselho Federal de Psicologia*.
Título: Redução da idade penal: socioeducação não se faz com prisão.
Fonte: Brasília; CFP; ; ago. 2013. 56 p.
Resumo(s): Diante do clamor de grande parte da sociedade brasileira pela redução da maioridade penal e com o intuito de continuar contribuindo com os argumentos que se contrapõem à volúpia punitiva, o Conselho Federal de Psicologia apresenta nesta publicação algumas reflexões de profissionais com relevante produção científica e reconhecida atuação profissional na área da infância e adolescência. A proposta foi de que apresentassem argumentos contra a redução da maioridade penal embasados em seus estudos e experiências. A exposição desses argumentos, sob diferentes enfoques, não caracteriza como um “exercício de convencimento”, mas visa a ampliação e qualificação das reflexões sobre o tema, ou ainda, a construção delas, visto que muitos daqueles que defendem a redução da idade penal o fazem sem embasamento, denotando apenas reações passionais ou vingativas. Constata-se que as manifestações favoráveis à redução da maioridade penal na nossa sociedade têm ocorrido de forma simplista e reducionista, forjando a sua real complexidade. Atos infracionais cometidos por adolescentes têm sido recorrentemente “espetacularizados” por grande parte dos diferentes meios de comunicação, sem uma análise mais abrangente dos fatos. Causa imensa preocupação o desconhecimento ou a distorção dos dados da realidade, a homogeneização dos sujeitos, a patologização e a criminalização das condutas dos adolescentes, tudo isso em nome da “justiça”, que vem sendo apresentada como sinônimo de punição e aprisionamento. Constata-se também uma tendência à individualização dos atos e culpabilização dos adolescentes, especialmente os pobres e negros, em uma visível manifestação de preconceitos, de violação dos direitos humanos e de mecanismos de exclusão(AU)
Descritor Psi Português: DIREITOS CIVIS
INFANCIA
PSICOLOGIA
MENOR
CRIME
Descritor Psi Espanhol: DERECHOS CIVILES
INFANCIA
PSICOLOGIA
MENORES
CRIMEN
Descritor Psi Inglês: CIVIL RIGHTS
CHILDHOOD
PSYCHOLOGY
MINOR
CRIME
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/reducao-da-maioridade-penal-socioeducacao-nao-se-faz-com-prisao.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  15 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 943
Autor: Ministério da Saúde. Secretária Executiva. Subsecretaria de Assuntos Administrativos*.
Título: Assédio: violência e sofrimento no ambiente de trabalho - assédio moral.
Fonte: Brasília; Editora do Ministério da Saúde; ; 2009. 36 p.
Resumo(s): As Mesas Local e Setorial de Negociação Permanente do Ministério da Saúde, constituídas por representantes do Governo Federal e das entidades representativas dos servidores públicos federais da área de Saúde, vêm se consolidando desde 2003 como efetivos espaços democráticos para as relações de trabalho. A reconstrução e a revalorização do serviço público federal, como política de governo, visam à melhoria da qualidade dos serviços essenciais prestados à população e ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante da necessidade de se combater permanentemente todo e qualquer tipo de violência que atente à dignidade dos trabalhadores, entre elas o Assédio Moral, a Coordenação-Geral de Recursos Humanos com a colaboração das entidades sindicais elaborou esta cartilha e, concomitantemente, está discutindo a implementação de um projeto institucional antiassédio, que contemplará o estabelecimento de um programa permanente de informação e orientação dirigido às áreas do Ministério da Saúde, bem como a elaboração de um protocolo institucional antiassédio a ser pactuado com as entidades sindicais que compõem a Mesas de Negociação Permanente do Ministério da Saúde
Descritor Psi Português: ASSEDIO MORAL
CONDICOES DE TRABALHO
Descritor Psi Espanhol: ASEDIO MORAL
CONDICIONES DE TRABAJO
Descritor Psi Inglês: MORAL HARASSMENT
WORKING CONDITIONS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/assedio_violencia_sofrimento_trabalho_assedio_moral.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book; Série F. Comunicação e Educação em Saúde


  16 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 942
Autor: Pereira Júnior, Alfredo; Cruz, Marina Zuanazzi; Andrade, Ramon Souza Capelle de.
Título: Uma introdução à filosofia das ciências da vida e da saúde.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2012. 292 p.
Resumo(s): O interesse de estudantes, pesquisadores e profissionais das ciências da vida e da saúde pela Filosofia da Ciência e a dificuldade que eles enfrentam para obter fundamentos teóricos diretamente de obras filosóficas motivaram a produção desse livro. Para os autores, a Filosofia da Ciência contribui para a formação de pesquisadores à medida que os princípios básicos da pesquisa científica e de seu significado contribuem para a produção de novos conhecimentos. Eles afirmam que o método científico se constitui na ferramenta adequada para a construção de soluções eficazes para problemas que profissionais e pesquisadores encontrarão ao longo se suas atividades, já que os capacita a fazer análises, sínteses e críticas baseadas no raciocínio científico. Outra importante colaboração é fornecer uma perspectiva do processo histórico da ciência. Ao longo dos capítulos são abordados temas como a natureza do conhecimento científico e o modo de produção da ciência. Os autores ainda apresentam uma breve história do pensamento biológico, além de conceitos e métodos das teorias Geral dos Sistemas e da Auto-organização, fundamentais para a tipificação dos fenômenos biológicos e para uma concepção da natureza como resultante da interação dinâmica entre fatores biológicos, psicológicos e sociais. Eles também abordam a relação entre a atividade científica e a sociedade tecnológica atual, inclusive discutindo sobre a ética que deve reger esse relacionamento. A obra faz um foco ainda sobre a psicossomática, que analisa por diversos aspectos: expõe seus fundamentos teóricos, bases fisiológicas e hipóteses filosóficas em torno do problema mente-corpo desenvolvidas ao longo da história, além de avaliar os mecanismos fisiológicos próprios aos processos psicossomáticos e demonstrar de que modo a psicossomática poderia ser aplicada à saúde coletiva.
Descritor Psi Português: FILOSOFIA DA CIÊNCIA
PSICOLOGIA DA SAÚDE
DISTÚRBIOS PSICOSSOMÁTICOS
Descritor Psi Espanhol: FILOSOFIA DE LA CIENCIA
PSICOLOGIA DE LA SALUD
TRASTORNOS PSICOSOMATICOS
Descritor Psi Inglês: PHILOSOPHY OF SCIENCE
HEALTH PSYCHOLOGY
PSYCHOSOMATIC DISORDERS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=338.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  17 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 941
Autor: Casadore, Marcos Mariani.
Título: Sándor Ferenczi e a psicanálise: pela errância das experimentações.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2012. 172 p.
Resumo(s): O húngaro Sándor Ferenczi (1873-1933) tornou-se um dos mais importantes discípulos de Freud, quando as bases da ciência psicanalítica ainda se encontravam em desenvolvimento. Fiel ao mestre, ele fazia parte do núcleo próximo do fundador da psicanálise, formado por psicanalistas como Carl Gustav Jung, Alfred Adler e Otto Rank. E assim como eles, no transcurso da prática terapêutica, desenvolveu divergências teóricas em relação aos preceitos freudianos, embora não tenha se tornado "oficialmente" um dissidente, uma vez que sua morte se deu antes do cisma. As teorias ferenczianas são tidas até hoje como importantes contribuições à ciência psicanalítica. Associado aos chamados casos difíceis, Ferenczi colaborou para uma melhor compreensão das psiconeuroses, do desenvolvimento do aparelho psíquico e das técnicas com as quais se busca facilitar o processo de "cura" por meio da psicanálise. Nesse livro, o mestre em Psicologia e professor Marcos Mariani Casadore discorre sobre a trajetória de Sándor Ferenczi em suas relações com a teoria freudiana e o movimento psicanalítico, expõe aspectos biográficos e analisa seus principais escritos produzidos entre as décadas de 1910 a 1930. Casadore destaca ainda a "errância" - no sentido de "desviar-se do caminho", como as tribos nômades que vagavam por territórios segundo suas necessidades - como distintivo da construção teórica de Ferenczi. O autor procura revelar novas leituras e posicionamentos sobre as postulações teórico-clínicas de Ferenczi, que ainda permanecem adequadas e incisivas "para a atuação clínica e o pensamento a respeito das demandas subjetivas e sociais da contemporaneidade".
Descritor Psi Português: FERENCZI, SANDOR, 1873-1933
PSICANÁLISE CLINICA
Descritor Psi Espanhol: FERENCZI, SANDOR, 1873-1933
PSICOANALISIS CLINICA
Descritor Psi Inglês: FERENCZI, SANDOR, 1873-1933
PSYCHOANALYSIS CLINIC
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=334.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  18 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 940
Autor: Buchianeri, Luís Guilherme Coelho.
Título: Adolescência, velocidade e tédio.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2012. 128 p.
Resumo(s): Luís Guilherme Coelho Buchianeri propõe, nesta obra, que nos dias atuais a velocidade continua acelerando exponencial e paradoxalmente, mas apenas no mundo externo. No mundo interno, se desacelera, “tendendo a uma paralisia que não promove a angústia estruturante, mas leva à agonia, à sensação de falta de futuro, à necessidade de preenchimento do tempo com conteúdos dados à imediaticidade dos afetos”. Tal busca de concretude, diz, impede a subjetivação do ser humano moderno. A subjetividade, segundo o autor, considerada lenta e imprecisa, está sendo descartada na era da instantaneidade e da satisfação imediata dos desejos, em que a máquina possibilita que tudo se realize em “tempo real”. Assim, se no nascimento da modernidade a velocidade instigava a ação, transformação e rebeldia, hoje, vazia de conteúdos, paralisa e instala nesse espaço um tempo entediante. Nos jovens, principalmente, essa variedade de estímulos decorrentes dessas mutações no espaço e no tempo produziria uma falta de sentido na vida, acompanhada por “um esvaziamento do sujeito, uma sensação subjetiva a que poderíamos denominar tédio”. Paralelamente a esse tema, discutido amplamente neste livro, que leva em conta a realidade de jovens de diversos países, o autor aborda outra questão contemporânea – a da “depressão como figura de subjetivação da atualidade”. Ao analisar conceitos com base em teorias da Psicologia e da Filosofia, ele procura demonstrar que o tédio se sobressai em relação à depressão como a subjetividade típica de um mundo acelerado e volátil.
Descritor Psi Português: PSICOLOGIA DO ADOLESCENTE
SUBJETIVIDADE
CONTEMPORANEIDADE
ESTADOS EMOCIONAIS
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGIA DEL ADOLESCENTE
SUBJETIVIDAD
CONTEMPORANEIDAD
ESTADOS EMOCIONALES
Descritor Psi Inglês: ADOLESCENT PSYCHOLOGY
SUBJECTIVITY
CONTEMPORANEITY
EMOTIONAL STATES
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=297.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  19 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 939
Autor: Montoya, Adrian Oscar Dongo (org); Marçal, Vicente Eduardo Ribeiro (org); Morais-Shimizu, Alessandra de (org); Moura, Josana Ferreira Rossi (org).
Título: Jean Piaget no século XXI: escritos de epistemologia e psicologia genéticas.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2011. 236 p.
Resumo(s): O I Colóquio Internacional de Epistemologia e Psicologia Genéticas: atualidade da obra de Jean Piaget, organizado pelo Grupo de Estudos de Psicologia e Epistemologia Genética e Educação – GEPEGE -, em setembro de 2009, na Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista – Unesp, na cidade de Marília - SP, teve o objetivo de promover o encontro de pesquisadores nacionais e estrangeiros, bem como de grupos de estudo e de pesquisa brasileiros, que se dedicam ao estudo da obra de Jean Piaget. Os textos que agora apresentamos neste livro se referem às conferências e às palestras expostas nas mesas redondas, durante o evento. Com esta obra se acredita que o I Colóquio confirme o seu propósito básico de divulgar a obra de Jean Piaget e de evidenciar a potência da sua teoria por meio do debate de novas pesquisas científicas e filosóficas.
Descritor Psi Português: PIAGET, JEAN, 1896-1980
PSICOLOGIA GENÉTICA
EPISTEMOLOGIA GENÉTICA
Descritor Psi Espanhol: PIAGET, JEAN, 1896-1980
PSICOLOGIA GENETICA
EPISTEMOLOGIA GENETICA
Descritor Psi Inglês: PIAGET, JEAN, 1896-1980
GENETIC PSYCHOLOGY
GENETIC EPISTEMOLOGY
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=277.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  20 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 938
Autor: Gomes, Adriana de Albuquerque; Melchiori, Ligia Ebner.
Título: Teoria do apego no contexto da produção científica contemporânea, A.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2011. 396 p.
Resumo(s): Este trabalho de Adriana de Albuquerque Gomes e Lígia Ebner Melchiori visa identificar os avanços da Teoria do Apego na psicologia contemporânea, por meio da apresentação e descrição do material bibliográfico sobre o assunto publicado entre 2005 e 2010. Desta forma, as autoras sintetizam os desdobramentos da teoria elaborada pelo psiquiatra britânico John Bowlby (1907-90), que tenta explicar como se dá a relação entre o bebê e seu provedor de segurança e conforto, que é a mãe, na maioria dos casos. E a partir disto busca avaliar, por exemplo, porque algumas crianças crescem autoconfiantes e outras inseguras. Bowlby descarta a ideia do impulso primário e afirma que a relação entre o bebê e sua mãe não se desenvolve pela alimentação, mas pelo sentimento de segurança. Gomes e Melchiori encontraram 194 trabalhos sobre a Teoria do Apego, com maior volume de produção em 2007, quase sempre escritos em inglês e publicados em especial nos Estados Unidos. Elas observaram ainda o predomínio de estudos teóricos e, no caso dos estudos empíricos, um maior número de trabalhos que investigaram o apego na fase adulta. Todos os textos foram fichados pelas autoras no livro que ora vem à luz.
Descritor Psi Português: COMPORTAMENTO DE APEGO
PESQUISA CIENTIFICA - PSICOLOGIA
Descritor Psi Espanhol: CONDUCTA DE APEGO
INVESTIGACION CIENTIFICA - PSICOLOGIA
Descritor Psi Inglês: ATTACHMENT BEHAVIOR
SCIENTIFIC RESEARCH - PSYCHOLOGY
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=207.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  21 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 937
Autor: Valle, Tânia Gracy Martins do (org); Maia, Ana Cláudia Bortolozzi (org).
Título: Psicologia do desenvolvimento humano e aprendizagem.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2011. 206 p.
Resumo(s): Este volume reúne artigos de autoria de professores e alunos do Programa de Pós-graduação em Psicologia do Desenvolvimento da Unesp e tem como objetivo compartilhar, com especialistas e estudiosos de Psicologia e ciências humanas, os resultados de pesquisas feitas em 2009 e 2010 para a produção de dissertações de mestrado. Os artigos estão reunidos em torno de dois eixos principais. O primeiro apresenta como tema aglutinador Psicologia do desenvolvimento humano e aprendizagem. Nessa primeira parte do livro, os autores focam suas análises na aprendizagem e sua relação com a linguagem e a atuação docente. Na segunda parte, Desenvolvimento humano e diferentes fatores no transcurso do ciclo vital, os temas dos artigos giram em torno das vivências humanas, da infância à velhice. São tratadas questões como estresse infantil, estresse na gestação e no puerpério e reflexões de adolescentes, adultos e idosos sobre a morte. Organizado pelas professoras Tânia Gracy Martins do Valle e Ana Cláudia Bortolozzi Maia, este livro é uma interessante fonte de informações sobre as mais recentes pesquisas da área de Psicologia do Desenvolvimento
Descritor Psi Português: PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
PROCESSOS COGNITIVOS
DESENVOLVIMENTO HUMANO
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGIA DEL DESARROLLO
PROCESOS COGNITIVOS
DESARROLLO HUMANO
Descritor Psi Inglês: DEVELOPMENTAL PSYCHOLOGY
COGNITIVE PROCESSES
HUMAN DEVELOPMENT
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=201.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  22 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 936
Autor: Molina, José Artur.
Título: O que Freud dizia sobre as mulheres.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2011. 186 p.
Resumo(s): José Artur Molina busca nesta obra identificar na sociedade vienense de fins do século XIX as razões que levaram Sigmund Freud a analisar as mulheres a partir de um ponto de vista essencialmente falocêntrico. Naquela época, Viena, capital do Império Austro-Húngaro, assistia a uma verdadeira revolução social, política e cultural, que seria o canto do cisne de sua frágil construção política que se desintegraria depois da I Guerra Mundial. Este cenário borbulhante forneceria as condições ideais para o nascimento da psicanálise. Freud construiu uma teoria singular, com conceitos como inconsciente, pulsão e um método que incluía a escuta, a associação livre e a transferência. As mulheres histéricas foram as protagonistas desta criação. Freud encontra a razão do sofrimento delas: o cerceamento de seus desejos. A psicanálise revoluciona o tratamento das histerias, mas seu conceito de feminino se enclausura numa lógica fálica. Molina tenta desvendar porque isto aconteceu, não apenas discutindo as imagens de mulheres presentes na obra de Freud, mas também as construções femininas de autores vienenses seminais, como o romancista Schnitzler e o pintor Klimt, e o quanto tais concepções se deviam ao visível colapso das condições estabelecidas para a mulher e às mudanças que estavam perceptivelmente a caminho na Viena da Belle Époque
Descritor Psi Português: PSICOLOGIA DA MULHER
FREUD, SIGMUND, 1856-1939
Descritor Psi Espanhol: PSICOLOGIA DE LA MUJER
FREUD, SIGMUND, 1856-1939
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGY OF WOMEN
FREUD, SIGMUND, 1856-1939
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=193.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  23 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 935
Autor: Negrão, Adriane Vasti Gonçalves; Constantino, Elizabeth Piemonte.
Título: Acolhimento institucional em tempos de mudança: uma questão de análise.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2011. 218 p.
Resumo(s): Promulgado em 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) introduziu novas formas de compreensão da infância e da adolescência e novos modos de atendimento àqueles em situação de risco. Mas, segundo Adriane Vasti Gonçalves Negrão e Elizabeth Piemonte Constantino, autoras do livro Acolhimento institucional em tempos de mudança - uma questão em análise, a efetivação das novas políticas de assistência tem sido deficiente em vários aspectos, como o que tange à aplicação da medida de proteção de abrigo em entidades de acolhimento institucional. O trabalho das autoras foi embasado em pesquisa de campo e constatou que, apesar dos importantes esforços para atender os direitos previstos legalmente, são notórias as oscilações entre práticas e concepções pré e pós a promulgação do ECA. Alguns princípios ainda estão ancorados no mais puro assistencialismo, o qual não pressupõe crianças e adolescentes como cidadãos de direitos, mas sim como objetos de ações de caridade.São práticas ainda comuns a falta de incentivo ao convívio familiar e comunitário e os longos períodos de acolhimento institucional como resultado de decisões que não o justificam, cenário com o potencial de fragilizar ou impedir ações de caráter emancipatório das crianças e jovens. O livro sinaliza que existe ainda um longo percurso rumo às transformações das instituições que atendem crianças e adolescentes em situações de vulnerabilidade social
Descritor Psi Português: CRIANÇA INSTITUCIONALIZADA
INSTITUCIONALIZAÇÃO
ADOLESCENTES
Descritor Psi Espanhol: NINO INSTITUCIONALIZADO
INSTITUCIONALIZACION
ADOLESCENTE
Descritor Psi Inglês: CHILD INSTITUTIONALIZED
INSTITUTIONALIZATION
ADOLESCENTS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=165.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  24 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 934
Autor: Valle, Tânia Gracy Martins do (org); Melchiori, Lígia Ebner (org).
Título: Saúde e desenvolvimento humano.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2010. 257 p.
Resumo(s): Este livro está dividido em quatro seções. Na primeira, que trata da Sexualidade e Corporeidade, os temas apresentados abordam o conceito de corporeidade, gênero e a busca por serviços de saúde, a imagem corporal em mulheres com depressão e a política de redução de danos em situações de sexualidade e vulnerabilidade. Na segunda seção, Intercorrências no desenvolvimento infantil, os temas se referem ao desenvolvimento infantil, abordando os efeitos do chumbo e da escolaridade, as habilidades sociais de crianças com irmão com transtorno de espectro autístico ou com desenvolvimento típico, e a ocorrência de estresse e bullying em crianças em condição de sobrepeso e obesidade. A terceira seção, intitulada Adolescentes: maternidade, fatores de risco e de proteção aborda o tema da gravidez e maternidade da adolescência, as interações familiares de mães adolescentes e os fatores de risco e de proteção em adolescentes com transtorno mental. A quarta seção, intitulada "Manejo de estresse e outros fatores em diferentes populações adultas", aborda o estresse em universitários com desordens temporomandibulares, em motoristas de ônibus urbano ou em pacientes com líquen oral
Descritor Psi Português: IMAGEM CORPORAL
SEXUALIDADE
DESENVOLVIMENTO INFANTIL
MÃES ADOLESCENTES
STRESS
Descritor Psi Espanhol: IMAGEN CORPORAL
SEXUALIDAD
DESARROLLO INFANTIL
MADRES ADOLESCENTES
ESTRES
Descritor Psi Inglês: BODY IMAGE
SEXUALITY
CHILDHOOD DEVELOPMENT
ADOLESCENT MOTHERS
STRESS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=141.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  25 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 933
Autor: Tavares, Leandro Anselmo Todesqui.
Título: Depressão como medicalização e (ex)-sistência do sujeito depressivo, A.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2010. 176 p.
Resumo(s): Atualmente, ouvimos demasiadamente o significante "depressão" ecoar nos mais variados contextos e, em especial, naqueles que se dedicam ao atendimento de questões relacionadas à saúde mental. Diante disso, torna-se relevante o contínuo pensar e repensar a respeito dessa modalidade de subjetivação e/ou "mal-estar" contemporâneo. O interesse pelo tema proposto nasceu da prática clínica cotidiana em Saúde Pública, realizada num Centro de Saúde (CS-III) de uma cidade do interior de São Paulo. Nossa problemática assentou-se no intuito de compreender a exacerbada medicalização da depressão na atualidade, especificamente os impactos subjetivos provocados por tais intervenções. Utilizamos de uma metodologia qualitativa cujo método clínico psicanalítico nos permitiu trabalhar no resgate de fragmentos clínicos, sendo estes constituídos com base nas reminiscências do próprio pesquisador, de maneira que selecionamos para a pesquisa aqueles casos em que o paciente se dizia depressivo e insatisfeito com relação ao tratamento medicamentoso
Descritor Psi Português: DEPRESSÃO
CONTEMPORANEIDADE
MAL-ESTAR (PSICANÁLISE)
Descritor Psi Espanhol: DEPRESION
CONTEMPORANEIDAD
MALESTAR (PSICOANALISIS)
Descritor Psi Inglês: MAJOR DEPRESSION
CONTEMPORANEITY
MALAISE (PSYCHOANALYSIS)
Localização: BR85.1
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=106.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  26 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 932
Autor: Valle, Tânia Gracy Martins do (org); Maia, Ana Cláudia Bortolozzi (org).
Título: Aprendizagem e comportamento humano.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2010. 255 p.
Resumo(s): Neste livro o leitor poderá compreender os processos de aprendizagem e comportamento na vertente pedagógica e clínica, considerando as diferentes pesquisas e reflexões teóricas apresentadas, sustentadas pelas contribuições dos estudos das Habilidades Sociais, dos pressuspostos teóricos da Psicologia Histórico-Cultural e da Análise do Comportamento tendo como pano de fundo a inclusão social e escolar. O livro pode ser um material de consulta importante para pesquisadores e interessados no tema
Descritor Psi Português: INCLUSÃO ESCOLAR
ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
HABILIDADES SOCIAIS
Descritor Psi Espanhol: INCLUSION ESCOLAR
ANALISIS DE LA CONDUCTA
HABILIDADES SOCIALES
Descritor Psi Inglês: SCHOOL INCLUSION
BEHAVIORAL ASSESSMENT
SOCIAL SKILLS
Localização: BR85.1
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=99.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  27 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 931
Autor: Zilio, Diego.
Título: Natureza comportamental da mente: behavorismo radical e filosofia da mente, A.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2010. 298 p.
Resumo(s): O presente livro pretende delinear uma possível interpretação do behaviorismo radical como teoria da mente, o que significa, em outros termos, contextualizá-lo no âmbito das discussões da filosofia da mente. Em que implica, exatamente, essa contextualização? Possivelmente existem muitas diferenças entre o behaviorismo radical e as teorias que compõem a filosofia da mente, inclusive diferenças de agenda: o primeiro surge como uma proposta de filosofia da ciência do comportamento, e as segundas foram desenvolvidas para tratar de questões que permeiam a filosofia desde o seu surgimento entre os gregos. O sentido da presente contextualização, portanto, é simplesmente o de tratar de alguns temas da filosofia da mente a partir da óptica behaviorista radical, mas sempre tendo em vista que esse trabalho não esgotará todos os problemas e todas as questões que formam essa subdivisão da filosofia. Pretende-se neste livro contextualizar o behaviorismo radical na filosofia da mente por meio de três atividades. A primeira delas consiste em apresentar uma resposta possível à questão "O que é a mente?" . A segunda delas, por sua vez, demanda o tratamento de outra questão, a saber, "Qual a natureza da mente?". À primeira questão subjaz o problema de se delimitar que coisas ou fenômenos são considerados mentais. Trata-se, portanto, da busca de uma definição conceitual da mente. Já a segunda questão é endereçada à ontologia do mental, isto é, às características essenciais à sua existência. Em seu turno, a terceira atividade não possui uma questão específica, mas nem por isso deixa de ser importante: consiste na análise de algumas teses, problemas e questões apresentadas pelas teorias da mente através do ponto de vista behaviorista radical. Espera-se que essas atividades representem, ao menos, um passo em direção à construção de uma teoria behaviorista radical da mente
Descritor Psi Português: FILOSOFIA DA MENTE
BEHAVIORISMO
Descritor Psi Espanhol: FILOSOFIA DE LA MENTE
BEHAVIORISMO
Descritor Psi Inglês: PHILOSOPHY OF MIND
BEHAVIORISM
Localização: BR85.1
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=96.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  28 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 930
Autor: Correa, Mariele Rodrigues.
Título: Cartografias do envelhecimento na contemporaneidade: velhice e terceira idade.
Fonte: São Paulo; Cultura Acadêmica; ; 2009. 128 p.
Resumo(s): Desde a década de 1950, diversas pesquisas e estatísticas têm apontado o crescente envelhecimento da população mundial. O Brasil, acostumado a se representar como um país jovem, foi surpreendido com o aumento continuado dos mais velhos, como apontam os censos das últimas décadas, e está sendo forçado a encarar essa nova realidade, acrescentando a velhice no conjunto das preocupações e dos investimentos sociais. Com base em um vasto levantamento bibliográfico sobre o tema e na sua experiência de trabalho com grupos de idosos, a autora analisa o envelhecimento humano no cenário brasileiro como algo que ultrapassa os determinismos biológicos e a ação decisiva do tempo, sendo modelado também por imagens e sentidos criados pelo conhecimento científico e por políticas públicas do Estado. Além disso, ressalta que os estigmas relacionados à velhice cederam lugar a tentativas de representá-la como um período da vida que pode comportar atividades produtivas, realização de projetos e participação ativa no mercado de consumo e que a velhice não é um fato uno e inexorável, mas uma construção humana que abre margens para experiências e significações múltiplas
Descritor Psi Português: ENVELHECIMENTO
VELHICE
IDOSOS
Descritor Psi Espanhol: ENVEJECIMIENTO
VEJEZ
ADULTOS MAYORES
Descritor Psi Inglês: AGING
OLD AGE
AGED
Localização: BR85.1
Endereço Eletrônico: http://www.culturaacademica.com.br/catalogo-detalhe.asp?ctl_id=48.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  29 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 929
Autor: Conselho Federal de Psicologia*.
Título: Referências técnicas para atuação das(os) psicóloga(os) no sistema prisional.
Fonte: Brasília; CFP; ; 2012. 108 p.
Resumo(s): Sumário: A PRISÃO E A PSICOLOGIA.A PSICOLOGIA NAS PRISÕES DO BRASIL. 2.1 A lógica das prisões e seus exames. 2.2 A lógica segregativa dos manicômios judiciários e o esforço para sua superação. 2.2.1 As ações do Sistema Conselhos de Psicologia para a superação dos manicômios judiciários. 3. AS REFERÊNCIAS PARA A PRÁTICA. 3.1 As referências para a prática a partir da pesquisa CREPOP. 4. Considerações finais
Descritor Psi Português: ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO
PRISÕES
Descritor Psi Espanhol: ACTUACION DEL PSICOLOGO
PRISIONES
Descritor Psi Inglês: PSYCHOLOGIST PERFORMANCE
PRISONS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/referencias_tecnicas_atuacao_psicologos_sistema_prisional11.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  30 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 928
Autor: Mota, André (org); Marinho, Maria Gabriela S.M.C (org).
Título: Práticas médicas e de saúde nos municípios paulistas: a história e suas interfaces.-v.1
Fonte: São Paulo; USP, Faculdade de Medicina: CD.G Casa de Soluções e Editora; ; 2011. 304 p. ilus, .
Resumo(s): Sumário: Parte 1: A INSTITUCIONALIZAÇÃO DA MEDICINA EM SÃO PAULO. Medicina e práticas médicas em São Paulo: uma introdução. De Criadeiras a Fazedoras de Anjos: as amas de leite e a criança desvalida sob o olhar da medicina. Criminologia e medicina legal em São Paulo: juristas e médicos e a construção da ordem. Revistas médicas paulistas e a nova realidade republicana. Perfil dos médicos e médicas em São Paulo (1892-1943). Parte 2: Medicina e as artes de curar em municípios paulistas. A Medicina e a Lei: o Código Penal de 1890 e o exercício de curar. Práticas médicas e autos criminais em Bragança: assimetrias da modernização. Dilemas revelados e mito desfeito: Sorocaba e aepidemia de febre amarela na República Velha. O Vale do Ribeira entre 1970 e 1990: saúde, educação, política e participação de sujeitos. “Água também é questão de Saúde Pública”: Geraldo Horácio de Paula Souza e o debate sobre o abastecimento da cidade de São Paulo: propostas para a superação da crise, 1913-1925. A saúde pública nas cidades de Rio Claro, São Carlos eAraraquara, em fins do século XIX. Sanatórios, tecnologia médica e cultura urbana: uma visita à cidade sanatorial de São José dos Campos na primeira metade do século XX. Os serviços de saúde no estado de São Paulo:seletividades geográficas e fragmentação territorial
Descritor Psi Português: INSTITUIÇÕES DE SAÚDE
MEDICINA BRASILEIRA (HISTÓRIA)
SERVIÇOS DE SAÚDE
Descritor Psi Espanhol: INSTITUICIONES DE SALUD
SERVICIOS DE SALUD
Descritor Psi Inglês: RESIDENTIAL CARE INSTITUTIONS
HEALTH CARE SERVICES
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/praticas_medicas_saude_municipios_paulistas.pdf.
Nota Geral: Coleção medicina, saúde e história, 1. Livro Eletrônico ou E-book


  31 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 927
Autor: Mota, André (org); Marinho, Maria Gabriela S.M.C (org).
Título: História da psiquiatria: ciência, práticas e tecnologias de uma especialidade médica.-v.2
Fonte: São Paulo; USP, Faculdade de Medicina: UFABC, Universidade Federal do ABC: CD.G Casa de Soluções e Editora; ; 2012. 272 p. ilus, .
Resumo(s): Sumário: Parte 1: História da Psiquiatria: Vínculos, Interfaces e Conexões de uma Especialidade Médica. A 1ª Conferência Internacional de Psicocirurgia e a influência dos cientistas brasileiros na atribuição do prêmio nobel a Egas Moniz. A Construção do Corpo psiquiátrico. Paracelso e as Causas das Doenças que afetam a razão. Histeria: considerações historiográficas e periodização das Crises Histéricas. Transtornos da Personalidade: História do Diagnóstico. Jacques Lacan - da Psiquiatria à Psicanálise: uma escolha pelo inconsciente. Manicômio Judiciário da Bahia: da constituição a pré-reforma psiquiátrica. A Psiquiatria na Época de Lima Barreto. Parte 2: Institucionalização da Psiquiatria em São Paulo: Contextos e abordagens. Um Médico, Uma Ideia e um Hospital: Dr. Franco da Rocha e a concepção do Juquery. A Contribuição da Arquitetura para o Tratamento Psiquiátrico no começo do Século XX: A Experiência França-Brasil. O Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas – FMUSP. Escola Pacheco e Silva: Propostas para a Infância Paulista. Psiquiatria em Convulsão: a cardiazolterapia e a introdução da eletroconvulsoterapia no Hospital de Juquery (1936 – 1950). Medicina e Psiquiatria em São Paulo nos anos de 1930-1940: o caso das Mulheres do Juqueri. Modelos e Finalidades da Terapêutica Psiquiátrica na primeira metade do Século xx - Uma História do início do uso dos Neurolépticos no Estado de São Paulo
Descritor Psi Português: HISTÓRIA DA PSIQUIATRIA - BRASIL
INSTITUCIONALIZAÇÃO
HOSPITAIS PSIQUIÁTRICOS
Descritor Psi Espanhol: HISTORIA DE LA PSIQUIATRIA - BRASIL
INSTITUCIONALIZACION
HOSPITALES PSIQUIATRICOS
Descritor Psi Inglês: HISTORY OF PSYCHIATRY - BRAZIL
INSTITUTIONALIZATION
PSYCHIATRIC HOSPITALS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/historia_psiquiatria.pdf.
Nota Geral: Coleção medicina, saúde e história, 2. Livro Eletrônico ou E-book


  32 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 926
Autor: Mota, André (aut); Campos, Cristina de (aut); Tarelow, Gustavo Querodia (aut); Marinho, Maria Gabriela S. M. C (aut).
Título: Caminhos e trajetos da filantropia científica em São Paulo: a Fundação Rockefeller e suas articulações no ensino, pesquisa e assistência para a medicina e saúde (1916-1952).-v.3
Fonte: São Paulo; USP, Faculdade de Medicina: UFABC, Universidade Federal do ABC: CD.G Casa de Soluções e Editora; ; 2013. 180 p. ilus, .
Resumo(s): Sumário: Parte 1: “Projetos Modelares”: A Filantropia Científica Escolhe São Paulo. Difundir a Ciência, Modernizar a Medicina. Pactos para uma Nova Racionalidade Médica: São Paulo, 1916-1925. A Viagem de Geraldo Paula Souza para os Estados Unidos, 1918-1920: fragmentos de uma História da Relação entre a Fundação Rockefeller e o Instituto de Higiene de São Paulo. O Hospital das Clínicas de São Paulo e a “Política da Boa Vizinhança” Norte-Americana, 1938-1944. Parte 2: Elites em Negociação. Breve História dos Acordos entre a Fundação Rockefeller e a Faculdade de Medicina de São Paulo (1916-1931) reimpressão
Descritor Psi Português: MEDICINA BRASILEIRA (HISTORIA)
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/caminhos_trajetos_filantropia_cientifica_saopaulo.pdf.
Nota Geral: Coleção Medicina, Saúde e História, 3. Livro Eletrônico ou E-book


  33 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 925
Autor: Diniz, Debora (aut).
Título: Custódia e o tratamento psiquiátrico no Brasil: censo 2011, A.
Fonte: Brasília; Letras Livres ; UnB; ; 2013. 382 p.
Resumo(s): Ser contado é uma forma de existir. Este livro apresenta o censo de uma população invisível - os loucos infratores habitantes dos 26 estabelecimentos de custódia e tratamento psiquiátrico no Brasil em 2011. São 3.989 homens e mulheres vivendo em regime de clausura para tratamento psiquiátrico compulsório por determinações judiciais: um contingente temido, pois são indivíduos tidos como perigosos para a vida social
Descritor Psi Português: TRATAMENTO
PSIQUIATRIA
DISTÚRBIOS MENTAIS
Descritor Psi Espanhol: TERAPIA
PSIQUIATRIA
TRASTORNOS MENTALES
Descritor Psi Inglês: TREATMENT
PSYCHIATRY
MENTAL DISORDERS
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/custodia_tratamento_psiquiatrico_no_brasil_censo2011.pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  34 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-es
Texto Completo-fr
Texto Completo-en
Id: 924
Autor: Swan, Alma (aut).
Título: Directrices para políticas de desarrollo y promoción del acceso abierto.
Fonte: Paris; UNESCO; ; 2013. 76 p.
Resumo(s): Estas Directrices para Políticas son el resultado de un proceso interactivo realizado por el Secretariado de la UNESCO y la Dra. Alma Swan, una líder experta en el campo del Acceso Abierto, para revisar el informe preliminar basado en la consulta en línea llevada a cabo por expertos en la Comunidad de Acceso Abierto de las Comunidades de Conocimiento WSIS, en septiembre de 2011. Creo que este abarcador documento será usado ampliamente por los decisores y legisladores, a nivel nacional e internacional. Sin embargo, debe enfatizarse su carácter estrictamente asesor; no se intenta que estos sean instrumentos normativos. Más aún, espero que esta publicación sirva también como punto de referencia para que todas las partes interesadas aclaren dudas básicas en el campo del Acceso Abierto. Les animo a retroalimentarnos y darnos sus comentarios basados en su experiencia en la aplicación de las ideas que abarca esta publicación, de modo que la mejoremos en ediciones futuras. Janis Karklins - Subdirector General de Comunicación e Información - UNESCO
Descritor Psi Português: ACESSO ABERTO
PESQUISA CIENTÍFICA
Descritor Psi Espanhol: ACCESO ABIERTO
INVESTIGACION CIENTIFICA
Descritor Psi Inglês: OPEN ACCESS
SCIENTIFIC RESEARCH
Localização: BR85.1; USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/directrices_politicas_desarrollo_promocion_acceso_abierto(esp).pdf. http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/directrices_politicas_desarrollo_promocion_acceso_abierto(fra).pdf. http://newpsi.bvs-psi.org.br/ebooks2010/pt/Acervo_files/directrices_politicas_desarrollo_promocion_acceso_abierto(ing).pdf.
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book


  35 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Parte I-pt
Parte II-pt
Id: 920
Autor: UNESCO*.
Título: Programa mundial para educação em direitos humanos, primeira e segunda fases.
Fonte: Brasília; UNESCO; ; 2012. 2 v p. graf, .
Resumo(s): O Programa Mundial para Educação em Direitos Humanos, uma iniciativa global das Nações Unidas que, desde 2005, incentiva medidas concretas para integrar a educação em direitos humanos em todos os setores. Como produto, foi produzido um livro com ênfase na primeira fase do Programa Mundial (2005-2009) foi no sistema educacional (educação básica e ensino médio). Baseando-se nas realizações conquistadas nos primeiros cinco anos do Programa, a segunda fase (2010-2014) focaliza-se nos mentores dos níveis seguintes de educação para formar cidadãos e líderes de amanhã, como instituições de ensino superior e aqueles que possuem grande responsabilidade pelo respeito, proteção e cumprimento dos direitos de outros – desde servidores públicos e forças de segurança até mulheres e homens do serviço militar. Ao adotar a segunda fase do Plano de Ação do Conselho de Direitos Humanos, em setembro de 2010, os Estados-membros das Nações Unidas concordaram em fortalecer a educação em direitos humanos nesses setores por meio do desenvolvimento e da revisão de políticas e práticas. O Plano de Ação fornece, aos governos e a outros, diretrizes práticas de como fazê-lo em termos de processo e conteúdo (Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO e Navanethem Pillay, alta-comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos)
Descritor Psi Português: DIREITOS HUMANOS
DIREITOS CIVIS
DIREITO A EDUCACAO
ACAO AFIRMATIVA
Descritor Psi Espanhol: DERECHOS HUMANOS
DERECHOS CIVILES
DERECHOS A EDUCACION
ACCION AFIRMATIVA
Descritor Psi Inglês: HUMAN RIGHTS
CIVIL RIGHTS
EQUAL EDUCATION
AFFIRMATIVE ACTION
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://unesdoc.unesco.org/images/0014/001478/147853por.pdf. Parte I http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002173/217350por.pdf. Parte II
Nota Geral: Livro Eletrônico ou E-book
Nota Formatada
de Conteúdo:

Título original: Plan of Action: World Programme for Human Rights Education: second phase; plan of action. Publicado em 2012 em Paris pela UNESCO, pela Assembleia Geral das Nações Unidas e pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos; (ACNUDH)


  36 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 900
Autor: Cowen, Robert (org); Kazamias, Andreas M (org); Ulterhalter, Elaine (org).
Título: Educação comparada: panorama internacional e perspectivas.-v.1
Fonte: Brasília; UNESCO / CAPES; ; 2012. 803 p.
Resumo(s): The work gathers wide scope contributions to scientific advancements in the field of Comparative Education. The two volumes of this work discusses the debates and the scholarly works developed in the study area called Comparative Education. The volumes have argued that what is considered "good" Comparative Education has changed over time. It analyzes the changing academic schedules, the prospects for attention in processing and the different languages used to build Compared Academic Education. The work shows the ways in which Comparative Education responds to political and economic changes, as well as to the intellectual currents that are strong in times and in specific locations. Volume I mainly analyzes the construction of Comparative Education in the 19th and 20th centuries. Volume 2 shows how vigorous the field is within current policy today. The first section of the book is about the history of the field. The last two sections deal with the future. The intermediate sections analyze the relationship between Education and: (a) training policies, (b) industrialization and economic systems, (c) the global, the international and the local spheres (d) the post-colonialism, and (e) the cultural standards, knowledge and pedagogies

Este livro é produzido em um momento crucial da história dessa área doconhecimento e, portanto, deixa aberto seu futuro, oferecendo uma ampladiversidade de maneiras para falar sobre esse futuro. a Seção 1 mostra a construção da educação comparada como um discurso, incluindo a evolução da educação comparada como um discurso acadêmico, até o final da década de 1970. A seção destaca também que, como conceitualizada nos séculos XIX e XX, a educação comparada era um projeto ideológico para ação no mundo. Assim, o tema mais amplo desta seção refere-se à maneira pela qual o campo vê seu passado no contexto político. A Seção 2 trata do mundo e do mundo da educação comparada após a década de 1980: o repensar sobre os pressupostos e abordagens clássicas cuja construção foi descrita e analisada na Seção 1. A Seção 3 é dedicada, em parte, ao tema da ação comparada – ou seja, àquelas formas de atuar sobre o mundo e sobre o mundo da educação fundamentadas em uma avaliação comparativa do mesmo. A Seção 4 trata da transição da ansiedade em torno das relações entre sistemas educacionais e economias industriais nos séculos XIX e XX para as relações de sistemas educacionais e as economias do conhecimento que surgiram no final doséculo XX e no início do século XXI. Portanto, esta seção discute alguns dospadrões clássicos de reformas de sistemas educacionais, de modo a torná-los mais relevantes para a industrialização e para as contestações e resistências – e para padrões de educação muito diferentes – que vieram como consequência. No entanto a preocupação não é meramente histórica.
Descritor Psi Português: EDUCACAO E IGUALDADE
QUALIDADE DA EDUCACAO
AVALIACAO DE PROGRAMA EDUCACIONAL
EDUCACAO INTERNACIONAL
Descritor Psi Espanhol: EDUCACION E IGUALDAD
CALIDAD DE EDUCACION
EVALUACION DE PROGRAMA EDUCACIONAL
EDUCACION INTERNACIONAL
Descritor Psi Inglês: EDUCATIONAL EQUALIZATION
EDUCATIONAL QUALITY
EDUCATIONAL PROGRAM EVALUATION
INTERNATIONAL EDUCATION
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://unesdoc.unesco.org/images/0021/002177/217707por.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book
Nota Formatada
de Conteúdo:

Versão em português do livro 'International Handbook of Comparative Education' organizado pelo Prof. Robert Cowen da Universidade de Londres e o Prof. Andreas Kazamias, da Universidade de Wisconsin-Madison


  37 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-es
Id: 803
Autor: ESTADOS UNIDOS. Organização Mundial da Saúde - OMS*.
Título: Prevención de la violencia sexual y violencia infligida por la pareja contra las mujeres: qué hacer y cómo obtener evidencias.
Fonte: Washington, D.C; World Health Organization (WHO); ; 2010. 105 p.
Resumo(s): La violencia infligida por la pareja y la violencia sexual afectan a una proporción considerable de la población, la mayoría de las personas que sufren directamente esta violencia son mujeres y la mayoría de quienes la cometen son hombres. El daño que causan estas agresiones puede durar toda la vida y repercutir en varias generaciones, con graves consecuencias sobre la salud, la educación y el empleo. Por tanto, la prevención primaria de estas formas de violencia salvará vidas y ahorrará dinero: la inversión que se haga hoy contra la violencia infligida por la pareja y la violencia sexual, antes de que ocurran, protegerá el bienestar físico, mental y económico y el desarrollo de las personas, las familias, las comunidades y las sociedades enteras. Este documento procura aportar a quienes formulan las políticas y llevan a cabo la planificación, la información suficiente para elaborar programas orientados por evidencia científica, encaminados a prevenir la violencia infligida por la pareja y la violencia sexual contra las mujeres
Descritor Psi Português: VIOLENCIA NA FAMILIA
CONFLITO CONJUGAL
PREVENCAO
MULHERES ESPANCADAS
RELACAO SEXUAL
COMPORTAMENTO PSICOSSEXUAL
FATORES DE RISCO
AGRESSOES SEXUAIS
Descritor Psi Espanhol: VIOLENCIA DOMESTICA
CONFLICTO MARITAL
PREVENCION
MUJERES MALTRATADAS
RELACION SEXUAL
CONDUCTA PSICOSEXUAL
FACTORES DE RIESGO
DELITOS SEXUALES
Descritor Psi Inglês: FAMILY VIOLENCE
MARITAL CONFLICT
PREVENTION
BATTERED FEMALES
SEXUAL INTERCOURSE (HUMAN)
PSYCHOSEXUAL BEHAVIOR
RISK FACTORS
SEX OFFENSES
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://whqlibdoc.who.int/publications/2011/9789275316351_spa.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  38 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-en
Id: 802
Autor: Contreras J. M (aut); Bott, S (aut); Guedes, A (aut); Dartnall, E (aut).
Título: Sexual violence in Latin America and the Caribbean: a desk review.
Fonte: Pretoria; Violence Research Initiative; ; mar. 2010. 91 p.
Resumo(s): This review highlights a number of key factors associated with sexual violence in LAC at the macrosocial, community, relationship and individual levels. Most researchers agree that sexual violence is rooted in unequal gender social order and power relations between men and women in society (Jewkes et al., 2002). In particular, researchers have linked sexual violence with the following types of social norms: a) the legitimisation of violence against women by intimate partners; b) blaming women for rape and other types of sexual violence; c) the justification of male violence, e.g. due to their “inherent sexual desires”; d) viewing women as sexual objects; and e) the “cult of women’s virginity”. At this level, sexual violence is also associated with more generalised social acceptance of the use of violence. High levels of violence are particularly common in LAC settings where internal conflicts have taken place. In most parts of the region, government responses to sexual violence have been weak. The region has gained international recognition for progress made in legal reforms that addresses violence against women. LAC was the first region in the world where all countries ratified the Convention for the Elimination of all Forms of Discrimination Against Women and the first to sign a regional treaty specifically aimed at eliminating violence against women: the Convention of Belem do Para. At present, nearly all countries in the region have incorporated the issue of violence against women into national legislation, by criminalising sexual violence and strengthening sanctions against perpetrators. However, many problems remain. For example, in some countries, the laws addressing violence against women are situated within the framework of legislation on domestic and family violence. As this review will illustrate, despite deficiencies, some recent progress has been made in the region to develop strategies to prevent and respond to sexual violence. These (...)

... advances include improvements to policy and legal frameworks, as well as efforts to strengthen prevention and response strategies by non-governmental organizations (NGOs), most notably in urban areas. Primary prevention efforts aimed at changing behaviour and providing support services to victims have been pursued through expansion of services, educational and capacity building interventions, raising awareness and community mobilisation, promoting public safety, and working with men and boys. Many of the most promising efforts have been driven by civil society, implemented through NGOs, and based on a human rights and gender perspective
Descritor Psi Português: AMERICA LATINA
ABUSO SEXUAL
AGRESSOES SEXUAIS
CRIME
ABUSO DA CRIANCA
VIOLENCIA NA FAMILIA
Descritor Psi Espanhol: AMERICA LATINA
ABUSO SEXUAL
DELITOS SEXUALES
CRIMEN
ABUSO DE NINOS
VIOLENCIA DOMESTICA
Descritor Psi Inglês: LATIN AMERICA
SEXUAL ABUSE
SEX OFFENSES
CRIME
CHILD ABUSE
FAMILY VIOLENCE
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.svri.org/SexualViolenceLACaribbean.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  39 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-en
Id: 801
Autor: ESTADOS UNIDOS. Organização Mundial da Saúde*.
Título: Violence prevention: the evidence.
Fonte: Malta; Organização Mundial da Saúde; ; 2010. 127 p.
Resumo(s): As noted in the 'World report on violence and health', violence has always been part of the human experience. Today, violence results in more than 1.5 million people being killed each year, and many more suffer non-fatal injuries and chronic, non-injury health consequences as a result of suicide attempts, interpersonal violence (youth violence, intimate partner violence, child maltreatment, elder abuse and sexual violence) and collective violence (war and other forms of armed conflict). Overall, violence is among the leading causes of death worldwide for people aged 15–44 years. Violence can be prevented. This is a statement based on evidence. Violence prevention: the evidence is a set of seven briefings based on rigorous reviews of the literature which examines scientific evidence for the effectiveness of interventions to prevent interpersonal and selfdirected violence. Each briefing focuses on a broad strategy for preventing violence, and under that umbrella reviews the evidence for the effectiveness of specific interventions. The violence prevention strategies covered in the seven briefings are: 1. Developing safe, stable and nurturing relationships between children and their parents and caregivers; 2. Developing life skills in children and adolescents; 3. Reducing the availability and harmful use of alcohol; 4. Reducing access to guns, knives and pesticides; 5. Promoting gender equality to prevent violence against women; 6. Changing cultural and social norms that support violence; 7. Victim identification, care and support programmes. This document summarizes the headline findings from each of the seven briefings and spotlights the specific interventions within each strategy that have the strongest evidence for preventing violence
Descritor Psi Português: VIOLENCIA
VIOLENCIA NA FAMILIA
PREVENCAO
AGRESSIVIDADE
RELACOES INTERPESSOAIS
COMPORTAMENTO SOCIAL
Descritor Psi Espanhol: VIOLENCIA
VIOLENCIA DOMESTICA
PREVENCION
AGRESIVIDAD
RELACIONES INTERPERSONALES
CONDUCTA SOCIAL
Descritor Psi Inglês: VIOLENCE
FAMILY VIOLENCE
PREVENTION
AGGRESSIVENESS
INTERPERSONAL RELATIONS
SOCIAL BEHAVIOR
World Health Organization
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.who.int/violence_injury_prevention/violence/4th_milestones_meeting/evidence_briefings_all.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  40 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 800
Autor: BRASIL. Nações Unidas*.
Título: Guia de orientação das Nações Unidas no Brasil denúncias de discriminação étnico-racial.
Fonte: Brasília; Nações Unidas; ; nov. 2011. 46 p.
Resumo(s): O “Guia de orientação das Nações Unidas no Brasil para denúncias de discriminação étnico-racial” é uma resposta às demandas da sociedade civil identificadas durante II Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (II CONAPIR), ocorrida em Brasília. A publicação, de linguagem simples e amigável, pretende orientar o cidadão e a cidadã na busca dos seus direitos em casos de discriminação étnica e racial sofridas no Brasil, fortalecendo, assim, os canais de comunicação entre o Sistema ONU e a sociedade civil. Organizado em cinco capítulos, o Guia apresenta abordagem introdutória e abrangente do conjunto de instrumentos e mecanismos internacionais e nacionais existentes para cada cidadão e cidadã no tema da violação dos direitos à igualdade étnico-racial. Com informações que compreendem desde o marco legal brasileiro e internacional, no âmbito dessa temática, até endereços de órgãos de atendimento à população nos estados e nas capitais, o Guia reúne, entre outras coisas, orientações sobre como apresentar denúncias de discriminação e racismo no sistema interamericano
Descritor Psi Português: RACISMO
PROBLEMAS SOCIAIS
PRECONCEITO
DIFERENCAS ETNICAS E RACIAIS
Descritor Psi Espanhol: RACISMO
PROBLEMAS SOCIALES
PREJUICIO
DIFERENCIAS ETNICAS Y RACIALES
Descritor Psi Inglês: RACISM
SOCIAL ISSUES
PREJUDICE
RACIAL AND ETHNIC DIFFERENCES
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://www.onu.org.br/img/2012/03/guia-onubrasil-para-denuncias-de-discriminacao-etnico-racial.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  41 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 799
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Saúde da criança - materiais informativos.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; ; 2007. 29 p.
Descritor Psi Português: SAUDE INFANTIL
CRIANCAS (BRASIL)
INFANCIA
MENINOS DE RUA
CRIANCA HOSPITALIZADA
PROGRAMAS PARA HOSPITAIS
Descritor Psi Espanhol: SALUD INFANTIL
NINOS (BRASIL)
INFANCIA
NINOS DE LA CALLE
NINO HOSPITALIZADO
PROGRAMAS PARA HOSPITALES
Descritor Psi Inglês: CHILD HEALTH
CHILDREN (BRAZIL)
CHILDHOOD
STREET BOYS
CHIL HOSPITALIZED
HOSPITAL PROGRAMS
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_materiais_infomativos.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  42 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 798
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Cartilha para a mãe trabalhadora que amamentaCartilla para la madre trabajadora que amamanta.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; ; 2010. 23 p. ilus, .
Resumo(s): No mundo de hoje, cada dia mais a gente precisa trabalhar e ter um salário, para que a vida seja melhor para nós e nossa família. Diferente dos tempos de nossas bisavós, hoje quase todas as mulheres estão na luta, muitas vezes criando seus filhos sozinhas, complementando a renda da família para pagar comida, roupa, calçado, creche, educação, saúde. Você, como mãe e trabalhadora remunerada, quer dar ao seu filho o melhor alimento, o contato físico, o carinho, o estímulo, a proteção contra doenças, ou seja, tudo o que você sempre sonhou de melhor. Como você já sabe, amamentar é o que permite dar a seu filho tudo isso. Mas, como dar de mamar e ao mesmo tempo trabalhar fora de casa? Esta Cartilha espera dar algumas respostas a você
Descritor Psi Português: AMAMENTACAO
ALIMENTACAO INFANTIL
SAUDE INFANTIL
SAUDE MATERNO-INFANTIL
Descritor Psi Espanhol: LACTANCIA MATERNA
ALIMENTACION INFANTIL
SALUD INFANTIL
SALUD MATERNO-INFANTIL
Descritor Psi Inglês: BREAST FEEDING
FEEDING OF CHILDREN
CHILD HEALTH
MATERNAL AND CHILD HEALTH
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cartilha_mae_trabalhadora_amamenta.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  43 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 797
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Perspectiva da equidade no Pacto Nacional pela redução da mortalidade materna e neonatal: atenção à saúde das mulheres negrasPerspectiva de la Equidad en el Pacto Nacional por la Reducción de la Mortalidad Materna y Neonatal. Atención a la Salud de las Mujeres Negras.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; ; 2005. 20 p. ilus, .
Resumo(s): A atenção integral à saúde da mulher pressupõe que os direitos sexuais e os direitos reprodutivos sejamcompreendidos como direitos humanos, assim como levar em conta a diversidade e as necessidades específicas da população feminina. Portanto, é necessário que em qualquer planejamento de ações de saúde da mulher, além do enfoque de gênero, sejam incorporadas também as questões relativas à raça/etnia, ou seja, o “quesito cor” na saúde, visando a que todos os indicadores de saúde considerem estas variáveis. A Área Técnica de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde incluiu, nas Diretrizes e no Plano de Ação 2004 – 2007 da Política Nacional para Atenção Integral à Saúde da Mulher, um capítulo relativo às mulheres negras. O Pacto Nacional pela redução da mortalidade materna e neonatal contém, em suas ações estratégicas, a necessidade de oferecer atenção às mulheres e recém-nascidos(as) negros(as), respeitando suas singularidades culturais e, sobretudo, atentando para as especificidades no perfil de morbimortalidade. É importante que os gestores desenvolvam ações e atividades considerando o sistema local de saúde e os recursos disponíveis, incluídas aí as parcerias com a sociedade civil
Descritor Psi Português: MULHERES - HIGIENE E SAUDE
TAXA DE MORTALIDADE
MATERNIDADE TARDIA
SAUDE MATERNO-INFANTIL
Descritor Psi Espanhol: MUJERES - HIGIENE Y SALUD
TASA DE MORTALIDAD
RETRASO DE LA MATERNIDAD
SALUD MATERNO-INFANTIL
Descritor Psi Inglês: WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
MORTALITY RATE
DELAYED PARENTHOOD
MATERNAL AND CHILD HEALTH
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/perspectiva_equidade_pacto_nacional.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série F. Comunicação e Educação em Saúde


  44 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 796
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Cartilha direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; ; 2009. 52 p. ilus, .
Resumo(s): Este documento do Ministério da Saúde, elaborado pela Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, trata de questões envolvendo os direitos sexuais, os direitos reprodutivos da mulher e os métodos anticoncepcionais por mulheres adultas e adolescentes no Brasil, dentre outros aspectos relacionados à reprodução humana e a saúde da mulher
Descritor Psi Português: TECNOLOGIA REPRODUTIVA
GRAVIDEZ
METODOS ANTICONCEPCIONAIS
CONTROLE DA NATALIDADE
MULHERES - HIGIENE E SAUDE
GRAVIDEZ NA ADOLESCENCIA
Descritor Psi Espanhol: TECNOLOGIA REPRODUCTIVA
EMBARAZO
METODOS ANTICONCEPTIVOS
CONTROL DE LA NATALIDAD
MUJERES - HIGIENE Y SALUD
EMBARAZO EN ADOLESCENCIA
Descritor Psi Inglês: REPRODUCTIVE TECHNOLOGY
PREGNANCY
CONTRACEPTIVE DEVICES
BIRTH CONTROL
WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
ADOLESCENT PREGNANCY
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/direitos_sexuais_reprodutivos_metodos_anticoncepcionais.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série F. Comunicação e Educação em Saúde; Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos - Caderno nº 2


  45 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 795
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Política Nacional de Atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes.
Fonte: Brasília; Editora do Ministério da Saúde; ; 2011. 82 p.
Resumo(s): O Ministério da Saúde, considerando que a saúde da mulher é uma prioridade deste governo, elaborou o documento “Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher – Princípios e Diretrizes”, em parceria com diversos setores da sociedade, em especial com o movimento de mulheres, o movimento negro e o de trabalhadoras rurais, sociedades científicas, pesquisadores e estudiosos da área, organizações nãogovernamentais, gestores do SUS e agências de cooperação internacional. Este reflete o compromisso com a implementação de ações de saúde que contribuam para a garantia dos direitos humanos das mulheres e reduzam a morbimortalidade por causas preveníveis e evitáveis. Este documento incorpora, num enfoque de gênero, a integralidade e a promoção da saúde como princípios norteadores e busca consolidar os avanços no campo dos direitos sexuais e reprodutivos, com ênfase na melhoria da atenção obstétrica, no planejamento familiar, na atenção ao abortamento inseguro e no combate à violência doméstica e sexual. Agrega, também, a prevenção e o tratamento de mulheres vivendo com HIV/aids e as portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e de câncer ginecológico. Além disso, amplia as ações para grupos historicamente alijados das políticas públicas, nas suas especificidades e necessidades
Descritor Psi Português: Saúde da mulher
MULHERES - HIGIENE E SAUDE
POLITICA DE SAUDE
PLANEJAMENTO FAMILIAR
MOVIMENTOS SOCIAIS
VIOLENCIA NA FAMILIA
Descritor Psi Espanhol: MUJERES - HIGIENE Y SALUD
POLITICA DE SALUD
PLANIFICACION FAMILIAR
MOVIMIENTOS SOCIALES
VIOLENCIA DOMESTICA
Descritor Psi Inglês: WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
HEALTH CARE POLICY
FAMILY PLANNING
SOCIAL MOVEMENTS
FAMILY VIOLENCE
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_mulher_principios_diretrizes.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book


  46 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 794
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Pré-natal e puerpério: atenção qualificada e humanizada - manual técnicoPrenatal and puerperal: humanized and qualified care - technical manual.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; 3 ed; 2006. 163 p.
Resumo(s): Uma atenção pré-natal e puerperal de qualidade e humanizada é fundamental para a saúde materna e neonatal e, para sua humanização e qualificação, faz-se necessário: construir um novo olhar sobre o processo saúde/doença, que compreenda a pessoa em sua totalidade corpo/mente e considere o ambiente social, econômico, cultural e físico no qual vive; estabelecer novas bases para o relacionamento dos diversos sujeitos envolvidos na produção de saúde – profissionais de saúde, usuários(as) e gestores; e a construção de uma cultura de respeito aos direitos humanos, entre os quais estão incluídos os direitos sexuais e os direitos reprodutivos, com a valorização dos aspectos subjetivos envolvidos na atenção. No Brasil, vem ocorrendo um aumento no número de consultas de pré-natal por mulher que realiza o parto no SUS, partindo de 1,2 consultas por parto em 1995 para 5,45 consultas por parto em 2005. Outra questão crítica da atenção pré-natal é a chamada “alta” do pré-natal, com a falta de acompanhamento ambulatorial no fim da gestação, momento em que é maior a probabilidade de intercorrências obstétricas. Diante dessa situação, está clara a necessidade de esforço coletivo, de setores governamentais e não-governamentais, para a melhoria da qualidade da atenção prénatal e puerperal em todo o País. Reiteramos aqui a importância da participação social nesse processo. O Ministério da Saúde publica este manual com a finalidade de oferecer referência para a organização da rede assistencial, a capacitação profissional e a normalização das práticas de saúde. Foi elaborado levando em consideração as evidências científicas atuais, os princípios e diretrizes da Política Nacional de Humanização (HumanizaSUS) e as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS)
Descritor Psi Português: PUERPERIO
RELAÇÕES MÃE-CRIANCA
MULHERES - HIGIENE E SAUDE
AVALIACAO DE PROCESSOS (CUIDADOS DE SAUDE)
PROFISSIONAIS DA SAUDE
SERVICOS DE SAUDE PUBLICA
Descritor Psi Espanhol: PUERPERIO
RELACIONES MADRE-NINO
MUJERES - HIGIENE Y SALUD
EVALUACION DE PROCESO (ATENCION DE SALUD)
PROFESIONALES DE LA SALUD
SERVICIOS DE SALUD PUBLICA
Descritor Psi Inglês: PUERPERIUM
MOTHER CHILD RELATIONS
WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
PROCESS ASSESSMENT (HEALTH CARE)
HEALTH PROFESSIONALS
PUBLIC HEALTH SERVICES
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_pre_natal_puerperio_3ed.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série A. Normas e Manuais Técnicos; Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos – Caderno nº 5


  47 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 793
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Manual dos comitês de mortalidade materna.
Fonte: Brasília; Editora do Ministério da Saúde; 3 ed; 2007. 104 p.
Resumo(s): A redução da mortalidade materna e neonatal no Brasil é ainda um desafio para os serviços de saúde e a sociedade como um todo. As altas taxas detectadas se configuram como uma violação dos direitos humanos de mulheres e crianças e um grave problema de saúde pública, atingindo desigualmente as regiões brasileiras com maior prevalência entre mulheres e crianças das classes sociais com menor ingresso e acesso aosbens sociais.Entendendo que o enfrentamento da problemática da morte materna e neonatal implica no envolvimento de diferentes atores sociais, de forma a garantir que as políticas nacionais sejam, de fato, executadas e respondam às reais necessidades locais da população, o Ministério da Saúde propôs a adoção do Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal. Na perspectiva da eqüidade, o pacto incorpora ações específicas para mulheres negras e índias e seus recém-nascidos. Este manual, publicado pelo Ministério da Saúde, por meio de parceria entre a Área Técnica de Saúde da Mulher e a Secretaria de Vigilância à Saúde, com a colaboração da Comissão Nacional de Mortalidade Materna, tem como principais funções oferecer subsídios às secretarias estaduais e municipais de saúde para a criação e o funcionamento de comitês de morte materna, bem como para implantar e implementar a notificação compulsória do óbito materno
Descritor Psi Português: INSTITUICOES DE SAUDE
ASSISTENCIA PRE-NATAL
SAUDE MATERNO-INFANTIL
POLITICA DE SAUDE
MULHERES - HIGIENE E SAUDE
ABORTO
TAXA DE MORTALIDADE
Descritor Psi Espanhol: INSTITUICIONES DE SALUD
ATENCION PRENATAL
SALUD MATERNO-INFANTIL
POLITICA DE SALUD
MUJERES - HIGIENE Y SALUD
ABORTO
TASA DE MORTALIDAD
Descritor Psi Inglês: RESIDENTIAL CARE INSTITUTIONS
PRENATAL CARE
MATERNAL AND CHILD HEALTH
HEALTH CARE POLICY
WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
ABORTION
MORTALITY RATE
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/comites_mortalidade_materna_3ed.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série A. Normas e Manuais Técnicos
Nota Formatada
de Conteúdo:

Publicação da Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas


  48 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 792
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Atenção humanizada ao abortamento: norma técnicaHumanized attention to the abortin: technical ruleAtención humanizada al aborto: norma técnica.
Fonte: Brasília; Ministério da Saúde; 2 ed; 2011. 60 p.
Resumo(s): O abortamento representa um grave problema de saúde pública. Estima-se que ocorram, considerando apenas o Brasil, mais de um milhão de abortamentos induzidos ao ano, sendo uma das principais causas de morte materna no país. Por atravessar um emaranhado de aspectos sociais, culturais, econômicos, jurídicos, religiosos e ideológicos, é tema que incita passionalidade e dissensão, parecendo, sob consideráveis perspectivas, distante de saída. Compreender sua abrangência e (re)pensar soluções demanda tanto investimento em educação e informação – vitais no aprimoramento da capacidade crítica – quanto o comprometimento constante do Estado, dos profissionais de saúde e da sociedade em geral com o ordenamento jurídico nacional e alguns de seus mais basilares princípios: a democracia, a laicidade do Estado, a igualdade de gênero e a dignidade da pessoa humana. Em 20 anos do Sistema Único de Saúde (SUS) e 25 anos de criação PAISM, tendo os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) como horizonte, o Ministério da Saúde, por meio da Área Técnica de Saúde da Mulher, apresenta aos profissionais de saúde a nova edição da Norma Técnica de Atenção Humanizada ao Abortamento e cumpre, assim, esta nova edição, objetivos específicos da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher – e seus planos de ação, ao buscar promover a atenção qualificada e humanizada – obstétrica e neonatal, incluindo a assistência ao abortamento em condições inseguras, para mulheres e adolescentes
Descritor Psi Português: MULHERES - HIGIENE E SAUDE
ABORTO
HUMANIZACAO DA ASSISTENCIA
NORMAS PROFISSIONAIS
Descritor Psi Espanhol: MUJERES - HIGIENE Y SALUD
ABORTO
HUMANIZACION DE LA ATENCION
Descritor Psi Inglês: WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
ABORTION
HUMANIZATION ASSISTANCE
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_abortamento_norma_tecnica_2ed.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série A. Normas e Manuais Técnicos; Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Caderno nº 4


  49 / 152 ULAPSI  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 791
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Anticoncepção de emergência: perguntas e respostas para profissionais de saúdeEmergency contraception: questions and answers for health professionals.
Fonte: Brasília; Editora do Ministério da Saúde; 2 ed; 2011. 44 p.
Resumo(s): A anticoncepção de emergência (AE) é um importante método anticonceptivo para prevenção de gestação inoportuna ou indesejada decorrente de violência sexual, relação sexual eventualmente desprotegida ou falha na anticoncepção de rotina. Assim sendo, a AE é fundamental para a garantia da atenção integral à saúde das mulheres adolescentes, jovens1* e adultas, bem como do pleno exercício de seus direitos sexuais e direitos reprodutivos – direitos humanos reconhecidos em convenções das quais o Brasil é signatário. Contudo, e a despeito de não ser abortivo, o método ainda enfrenta intricada barreira para sua efetiva difusão e utilização, haja vista as resistências e as informações imprecisas que ainda circundam o método. Para reduzir tais entraves, o Ministério da Saúde, por meio da Área Técnica de Saúde da Mulher (ATSM), publicou, no ano de 2005, o documento referencial Anticoncepção de Emergência, para profissionais de saúde, na forma de perguntas e respostas. A presente edição atualizada e ampliada cumpre assim uma das estratégias prioritárias do Plano de Ação 2008–2011 da ATSM: a de expandir e qualificar redes estaduais e municipais de atenção integral paramulheres, jovens e adolescentes em situação de violência
Descritor Psi Português: METODOS ANTICONCEPCIONAIS
MULHERES - HIGIENE E SAUDE
CUIDADORES
PSICOLOGOS
Descritor Psi Espanhol: METODOS ANTICONCEPTIVOS
MUJERES - HIGIENE Y SALUD
CUIDADORES
PSICOLOGOS
Descritor Psi Inglês: CONTRACEPTIVE DEVICES
WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
CAREGIVERS
PSYCHOLOGISTS
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/anticoncepcao_emergencia_perguntas_respostas_2ed.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série F - Comunicação e Educação em Saúde; Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, Caderno nº 3


  50 / 152 ULAPSI  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Texto Completo-pt
Id: 790
Autor: BRASIL. Ministério da Saúde*.
Título: Aspectos jurídicos do atendimento às vítimas de violência das mulheres: perguntas e respostas para profissionais da saúdeJuridical aspects of the attention to victims of sexual violence: questions and answers for health professionalsAspectos jurídicos de la atención a las victimas de violência sexual: preguntas y respuestas para profesionales de salud.
Fonte: Brasília; Editora do Ministério da Saúde; 2 ed; 2011. 48 p.
Resumo(s): O Ministério da Saúde, sensível aos indicadores e às reivindicações dos movimentos feministas e de mulheres, vem assumindo lugar de destaque na garantia dos direitos humanos das mulheres, de modo intra e intersetorial, especialmente de forma articulada com o Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher. Apesar dos inquestionáveis avanços, o Ministério da Saúde reconhece que uma vida sem violência e uma cultura de respeito aos direitos humanos de mulheres permanecem um grande desafio. A reedição de 'Aspectos Jurídicos do Atendimento às Vítimas de Violência Sexual: perguntas e respostas para Profissionais de Saúde' pretende não somente continuar a contribuir para uma atuação mais qualificada dos profissionais de saúde, mas também somar com os esforços e as iniciativas governamentais e não governamentais de enfrentamento à violência contra as mulheres em todos os seus ciclos de vida
Descritor Psi Português: MULHERES - HIGIENE E SAUDE
POLITICA DE SAUDE
CUIDADORES
PSICOLOGOS
Descritor Psi Espanhol: MUJERES - HIGIENE Y SALUD
POLITICA DE SALUD
CUIDADORES
PSICOLOGOS
Descritor Psi Inglês: WOMEN - HEALTH AND HYGIENE
HEALTH CARE POLICY
CAREGIVERS
PSYCHOLOGISTS
Localização: BR85.1 - USP/IP/SBD
Endereço Eletrônico: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/aspectos_juridicos_atendimento_vitimas_violencia_2ed.pdf.
Nota Geral: Livro eletrônico ou E-book; Série F - Comunicação e Educação; Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos - Caderno nº 7



página de
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : ULAPSI Formulário avançado   
Pesquisar por : Formulário livre    Formulário básico

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde